Tuesday, June 27, 2006

Fim de semana foi a vez de ver minha Joaninha (Tchuco ou Tchucolina para os íntimos) atuando numa peça meio maluca, embora ideal para quem está estudando artes cênicas. Ela é mesmo muito boa em comédias. Uma comediante nata!
Acho gostoso que ela faça questão que eu assista as peças em que atua logo na estréia. Acho que ela se sente mais confiante sabendo que estou por perto. Como se eu pudesse fazer algo se ela der uma engasgada em cena... Depois Neal e eu fomos jantar no La Távola (uma cantina italiana ali perto, no Bexiga com um Parmegiana gostoso).

Ah... fiquei devendo dizer quem é Neal . Neal é meu marido, meu segundo marido, com o qual casei há pouco mais que oito anos. Mais adiante haverá oportunidade de contar mais sobre ele

Domingo ... ai que programa de índio... Chá de bebê da filha da Yvette, uma amiga minha de infância. Depois de conversar com umas mulheres chatas, que nada têm a ver comigo, começam aquelas brincadeirinhas de adivinhar o presente e quando não adivinha tem que pagar uma prenda. Ai ... ninguém merece... Acho que já não tenho saco para muita coisa.

*****

Ontem, iniciei minha terapia de choque. Choque mesmo, na verdadeira acepção da palavra. Nada de força de expressão. Pois é... tenho uma tensonite que agora cronificou e me acorda quase todas as noites e às vezes dói ao me levantar da cadeira e fica doendo um tempo mais. Já tentei de tudo, de fisioterapia convencional como recomendou o Isídio (meu médico), ginásticas, acupuntura e até Cabala. Uma colega minha disse que o marido dela que estava travado fez um tratamento fisioterápico à base de choques elétricos e funcionou.

Resolvi tentar. A fisioterapeuta é uma baixinha forte mas parece muito eficiente. Logo sacou que meu problema quem sabe não residisse apenas na tensonite (que de fato é branda) mas numa queda de bunda / costas que devo ter tido muitos anos atrás. Daí de fato lembrei-me de uma queda em Yosemite Park (California) bem no gelo duro e como aquilo doeu. Bem... não importa o que causou, o fato é que tenho esse problema de dores lombares que refletem no joelho e comecei o tratamento com choques elétricos.

Gente! Que horror. Dói à beça! Agora imagino o que sofriam as pessoas na década de 70 que iam parar no DOI /CODI. E isso que a voltagem mínima aplicada é mínima.. segundo a Kathy, a fisioterapieuta. Pois é... peimenta no c* dos outros não arde. Vou precisar de umas 4 a 5 sessões disso, mas a Kathy (fisioterapeuta) garantiu que a maior dor é na primeira vez e que à medida que vai melhorando o problema, vou ficando menos suscetível ao choque.

Hoje ao meio-dia teremos outro jogo do Brasil, desta vez contra Gana. Palpite? Sei lá... 3 a 2 para o Brasil... Será que sou muito otimista? Dizem que sim.
Vou acabar logo de acertar uns glossários (aproveitando que estou com menos trabalho hoje), depois vou tingir o cabelo e assistir o jogo com a Joaninha. Vamos almoçar mais cedo para não perdemos nadinha do jogo.

See you...

4 comments:

Anonymous said...

Mamãe, sempre faço questão de vc na estréia!! sempre!
TE AMO!Joaninha.

Biba Blandy said...

Docinho, como estah a tensonite? melhorou ja? To com saudades! Babai consumiu meu tempo nessa ultima semana... Beijao!

Anonymous said...

Lúcia,
Me lembro bem daquele tombo, será que foi isso?
Bjs,
Charles

LuSinger said...

Sim Charlão. Foi o tombo em Yosemite...